quinta-feira, 18 de junho de 2015

PREPARE-SE INSS: autorização do novo concurso esta próxima


A prioridade apontada pelo ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, à situação precária de pessoal do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) ainda não se transformou em autorização. No entanto, há o desejo do governo de que a seleção do instituto tenha o aval este ano, com as contratações ocorrendo em 2016. Essa vontade é resultado de uma análise governamental envolvendo a questão social e o ajuste fiscal, que tem marcado o atual mandato da presidente Dilma Rousseff. 
 
Após a autorização, o INSS terá seis meses para publicar o edital, mas, diante do atual cenário da autarquia, o documento deverá ser liberado em uma prazo menor. O Planejamento tem sofrido pressão do Legislativo e dos sindicatos. A Câmara dos Deputados cobra o concurso por meio de ofícios, sendo dois deles de Chico Alencar (Psol-RJ) e um de Simone Morgado (PMDB-PA). Ainda não houve respostas, mas os documentos deixam claro a Nelson Barbosa e sua equipe que o concurso é inevitável, pois, caso contrário, o instituto entrará em colapso, conforme o Tribunal de Contas da União (TCU) já diagnosticou. Segundo o TCU, há carência de mais de 5 mil servidores no INSS, e cerca de 10 mil podem aposentar-se.
 
E o remédio para a carência de pessoal do INSS é o aval imediato das vagas ou pelo menos diálogo e negociação com os servidores. Esses são os desejos dos movimentos ligados à Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps), que aprovaram indicativo de greve para o dia 7 de julho. A Associação Nacional dos Servidores da Previdência e da Seguridade Social (Anasps) apoia o movimento. O INSS solicita 4.730 vagas, sendo 2 mil de técnico do seguro social, de nível médio, 1.580 de analista do seguro social, de nível superior, e 1.150 de perito médico, para graduados em Medicina. Os rendimentos são de R$4.620,91 para técnico, R$7.504,45 para analista e R$10.559,64 para perito.